quinta-feira, 9 de junho de 2016

A cidade vertical





Edifícios de até 4 quilômetros de altura onde podem viver e trabalhar até 1 milhão de pessoas — sonhando com projetos assim os japoneses se preparam para enfrentar o problema da superlotação.



Ainda não existe uma palavra para descrever as construções que algumas empresas começam a desenhar para o futuro. Que nome dar a um prédio com apartamentos para centenas de milhares de pessoas? E que ainda tem espaços para centrais elétricas, fazendas, hospitais e escolas, parques, estádios, piscinas, escritórios e lojas? São megaedifícios, ou cidades verticais, cujos “bairros”, ou blocos, são interligados por quilométricos corredores de aço e vidro. Nessas colmeias humanas, uma pessoa pode passar a vida inteira, sem nunca mudar de endereço. Mas, se quiser sair, em vez do metrô pode tomar um silencioso dirigível e descer direto para a cidade – isto é, a cidade convencional, no nível do solo, 2 ou 3 quilômetros abaixo.
Um delírio arquitetônico como este só podia mesmo nascer na cabeça dos japoneses. O Japão é tão pequeno que cada pessoa tem apenas 3 metros quadrados para viver. São 125 milhões de habitantes espremidos em apenas 380000 quilômetros quadrados – área 36% menor que o estado de Minas Gerais. A situação nas cidades é ainda mais apertada porque elas concentram 77% da população total do país. Assim, mesmo que jamais se tornem realidade, esses mirabolantes voos de imaginação têm o seu lado útil: podem servir de modelo para projetos menos grandiosos, porém mais viáveis. Por exemplo, para edifícios com 300 metros de altura.

Tão alta... E nunca para de crescer


Ela tem mais de 2 000 metros de altura e pode ganhar, quase de um dia para o outro, mais 100 ou 200 andares. Chegaram novos moradores? Nenhuma dificuldade. Basta acrescentar os blocos necessários na estrutura existente. Exatamente como as cidades crescem com o aumento da população. A construção por módulos também pode ser útil como proteção contra incêndios.
No projeto do edifício Try 2004, os blocos são encaixados em formas de pirâmide. A distância entre eles impede que o fogo se espalhe por toda a torre. Isso dá tempo para que chegue socorro das unidades vizinhas – seja pelas passarelas existentes nos tubos horizontais, seja por helicóptero.
No Try 2004 poderiam morar até 1 milhão de pessoas em 240000 apartamentos. Além do setor residencial, haveria uma área equivalente a 2 400 quarteirões reservada a escritórios. O custo da obra chegaria aos 760 bilhões de dólares.


Gráfico comparativo dos arranha-céus

 Gráfico comparativo dos arranha-céus
Gráfico comparativo dos arranha-céus


Montanha de aço flutuante


Ao imaginar prédios de altura recorde, os engenheiros japoneses recorreram a muita criatividade. Por exemplo: como fazer fundações que aguentem os milhões de toneladas de peso das enormes estruturas?
Pelo sistema convencional de construção, a solução seria “plantar” as fundações a muitos quilômetros de profundidade no solo. Mas no X-Seed 4000, por exemplo, a saída foi transferir o projeto da terra firme para a água e transformar a montanha de aço numa ilha flutuante.
O prédio seria então instalado sobre imensas “caixas” que funcionariam como boias. Dispostas uma ao lado da outra, abaixo da superfície do mar, elas constituiriam o alicerce do gigantesco X-Seed 4000. O superedifício mede 4 quilômetros de altura e tem 6,5 quilômetros de diâmetro na base. Pode servir de moradia para nada menos que 700 000 pessoas – quase toda a população de Fortaleza, no Ceará – e levaria nada menos que trinta anos para ficar pronto.


Jardins suspensos do futuro


O X-Seed tem 4 000 metros de altura e capacidade para 700 000 pessoas. Cada pilar das bordas do edifício contém uma cidade completa, com casas, jardins e escolas. Os apartamentos chegam a até 2 000 metros de altura. Acima disso, ficam uma central elétrica e várias estações panorâmicas. Os pilares internos são reservados às áreas comerciais.


O “voo” do elevador precisa ter escalas


O Aerópolis tem 2 000 metros de altura, apartamentos para 140 000 pessoas e escritórios para outras 300 000. O projeto prevê elevadores movidos a propulsão magnética. Tão rápidos que teriam de levar em conta a pressão do ar, que diminui conforme a altitude.
Para evitar mudanças bruscas de pressão – e o mal-estar dos passageiros – as cabines deverão fazer paradas a cada 160 metros.


Balança, balança, mas não cai


Um dos desafios que os engenheiros japoneses enfrentaram nos novos projetos foram os terremotos, muito comuns no Japão. A preocupação era manter inteiras estruturas de centenas ou milhares de metros de altura num país em que o chão pode tremer a qualquer momento. O DIB 200, com 800 metros de altura, por exemplo, tem a sua maneira de resistir aos abalos. É o próprio “balança-mas-não-cai”, no bom sentido. Foi projetado para se “mexer” de acordo com os movimentos do solo e, desse modo, continuar em pé.
O sistema antissísmico é controlado por programas de computador. Os 200 andares do prédio são ocupados por 320 apartamentos residenciais, 800000 metros quadrados de escritórios, mais um hotel com 2 500 quartos e três heliportos.


Dançando conforme o terremoto


O DIB (sigla em inglês para Edifício Dinâmico Inteligente) tem 200 andares ao longo de 800 metros de altura.
Dotado de um revolucionário sistema antissísmico, o prédio é composto de doze módulos que, em caso de abalo, mudam ligeiramente de posição. É o mesmo princípio empregado pelo passageiro de ônibus, que mantém o equilíbrio com o balanço do corpo.
Esses movimentos são articulados por enormes vigas que interligam as partes do prédio.
Depois de muita imaginação, vamos a realidade, hoje o Burj Khalifa Bin Zayid, em Dubai (Emirados Árabes) é atualmente a mais alta estrutura feita pelo homem no mundo até o ano de 2015.

Burj Khalifa Bin Zayid, em Dubai (Emirados Árabes): 828 metros e 192 andares (Mais alto do Mundo - 2015)

  Burj Khalifa Bin Zayid, em Dubai (Emirados Árabes): 828 metros e 192 andares (Mais alto do Mundo - 2015)
Megaedifícios abrigam milhares de pessoas e se constituem em alternativas para enfrentar o problema da superlotação.

Burj Khalifa Bin Zayid, - É um arranha-céu em Dubai, Emirados Árabes Unidos, e é atualmente a mais alta estrutura feita pelo homem no mundo, com 829,84 m (2723 pés) a construção começou em 21 de setembro de 2004, e inaugurado oficialmente em 04 de janeiro de 2010. É tão alto que tem um elevador que chega a 64km/h, o mais rápido do mundo. Nesses 163 andares, tudo é motivo para recorde, a casa noturna mais alta do mundo, mesquita mais alta do mundo, restaurante, observatório, etc.








Dicas de Gramática


Dica 1 – Uso de “A” ou “HÁ”.
  • O HÁ indica tempo que já passou, como no exemplo: “Eu parei de fumar há algum tempo”.
  • O A indica o tempo que ainda vai passar, como no exemplo: “Daqui a alguns anos, eu morrerei”.

Dica 2 – Uso de “A CERCA DE”“HÁ CERCA DE” ou “ACERCA DE”
  • A CERCA DE indica distância, como na frase “Trabalho a cerca de 10 quilômetros da minha casa”;
  • HÁ CERCA DE indica tempo aproximado, como no exemplo “Te conheço há cerca de 20 anos”
  • ACERCA DE é o mesmo que A RESPEITO DE, como no exemplo “Na reunião falamos acerca de seu desempenho”.




Glossário


Diâmetro: num conjunto de pontos, o supremo das distâncias entre dois pontos (Matemática); em uma circunferência, é qualquer corda que passa pelo centro (Geometria).
Abalo: ato ou efeito de abalar; tremor, oscilação; perturbação, desordem; choque, comoção.
Viga: peça de estrutura de um edifício destinada à sustentação dos outros elementos da construção.







Links:


Sanderlei Silveira

Conheça seu Estado - História e Geografia

Poesia em Português, Inglês, Espanhol e Francês

Obra completa de Machado de Assis

História em 1 Minuto

Curso de Idiomas (Inglês e Espanhol)

Áudio Livro

Livros - Online

Billboard Hot 100 - Letras de Músicas

Developer - Treinamento, Manuais, Tutoriais

Santa Catarina - Conheça seu Estado

São Paulo - Conheça seu Estado

Paraná - Conheça seu Estado

Mato Grosso do Sul - Conheça seu Estado

Educação Infantil

Língua Portuguesa e Atualidades

Arte e Estética

TOP 50:


As festas populares no estado de São Paulo

Atividades extrativistas do estado de São Paulo

Adolf Hitler - Mein Kampf - Download

Áreas de preservação no estado de São Paulo

Assalto - Carlos Drummond de Andrade

Atividades extrativistas do Mato Grosso do Sul

Machado de Assis - O Alienista - PDF Download

Gonçalves Dias - Marabá

As festas populares no estado do Paraná

O tropeirismo no estado do Paraná

Biomas brasileiros

Bacias hidrográficas do estado de São Paulo

A população africana e a escravidão no Paraná

Áreas de preservação do estado do Paraná

Mário de Andrade - Macunaíma - Download

As comunidades quilombolas no Mato Grosso do Sul

As atividades econômicas do estado de São Paulo

Atividades extrativistas de Santa Catarina

Áreas de preservação do estado do Mato Grosso do Sul

Atividades extrativistas no Paraná

Os imigrantes no século XIX e XX no estado do Paraná

Jogos para Crianças - Dengue

As festas populares do Mato Grosso do Sul

Adolf Hitler - Mein Kampf - CAPÍTULO XI - POVO E RAÇA

Os biomas do estado do Mato Grosso do Sul

A urbanização do estado de São Paulo no início do século XX

Os índios Xetá do estado do Paraná

As atividades econômicas do Paraná

Clima e relevo do estado do Paraná

Machado de Assis - Memórias Póstumas de Brás Cubas - CAPÍTULO CXVII / O HUMANITISMO

Machado de Assis - Memórias Póstumas de Brás Cubas - CAPÍTULO CLX / DAS NEGATIVAS

Áreas de preservação do estado de Santa Catarina

O relevo do estado de São Paulo

As atividades econômicas de Santa Catarina

A organização do espaço geográfico brasileiro

O Diário de Anne Frank - Download

Gregorio de Matos - Ao braco do mesmo menino Jesus quando apareceu

Os imigrantes no estado de Santa Catarina no século XX

A imigração europeia no estado do Paraná

Machado de Assis - Dom Casmurro - CAPÍTULO LXII - UMA PONTA DE IAGO

A poluição do rio Iguaçu (maior rio do Paraná)

10. Mitologia Grega

Elizabeth Barrett Browning - Sonnet 43 - How Do I Love Thee?

A população indígena no estado de São Paulo em 2015

05. Religião – Idade Antiga

Machado de Assis - Esaú e Jacó - CAPÍTULO LXIII - TABULETA NOVA

A formação da cultura de Santa Catarina

Clima e relevo de Santa Catarina

Mário de Andrade - Macunaíma - Capítulo XVII - URSA MAIOR

A população africana no Brasil e a escravidão

Outros Links:


Obra completa de Machado de Assis

Machado de Assis - Dom Casmurro

Machado de Assis - Quincas Borba

Machado de Assis - Memórias Póstumas de Brás Cubas

O Diário de Anne Frank

Educação Infantil

Bíblia Online

História e Geografia

Casa do Sorvete

Sanderlei Silveira

Conheça seu Estado - História e Geografia

Poesia em Português, Inglês, Espanhol e Francês

Santa Catarina - História e Geografia

Paraná - História e Geografia

Mato Grosso do Sul - História e Geografia

São Paulo - História e Geografia

Mário de Andrade - Macunaíma

Adolf Hitler - Mein Kampf



Nenhum comentário:

Postar um comentário